04 Dez 2019 Em 2019-2020

Uma cadeira de rodas em troca de tampinhas

Clube do Ambiente da ECCN recolheu 1340 Kg de tampas 

No âmbito das comemorações da Semana Europeia da Prevenção de Resíduos, no passado dia 27 de novembro, a responsável pela empresa RESIAÇORES, Janete Silva, veio entregar à Escola Cardeal Costa Nunes uma cadeira de rodas, adquirida com o apoio da Farmácia Lajense, depois de ter recebido nos últimos anos cerca de 1340 kg de tampas de garrafas de plástico, que foram recolhidas pelos alunos e toda a comunidade local de todas as idades. 

27 Mar 2019 Em 2018-2019

Com mais de sete toneladas de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) recolhidos, a Escola Cardeal Costa Nunes é a segunda de todo o país com a maior recolha destes detritos altamente nocivos para o meio ambiente e com a sua ajuda pretende liderar o pódio deste projeto da Geração Depositrão.
A Escola Cardeal Costa Nunes lidera a recolha de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) e pilhas em todo o arquipélago, tendo, com o apoio da Câmara Municipal da Madalena, coletado 7192 quilos, o que faz da nossa escola a segunda melhor classificada do país, no projeto Geração Depositrão.
Depois do sucesso da iniciativa nos últimos anos, os alunos madalenenses querem novamente este ano conquistar um lugar de destaque na iniciativa, apelando a toda a comunidade para uma participação em massa nesta campanha que se prolonga até ao final do ano letivo 2018/19 (junho de 2019).
Para colaborar neste projeto, basta que deposite até ao final do ano letivo resíduos, tais como secadores de cabelo, máquinas de café, máquinas fotográficas, televisões, computadores, consolas, telefones/telemóveis, pilhas, baterias, no Ponto Eletrão da nossa escola, da sua freguesia ou solicite, gratuitamente, a sua recolha à Câmara Municipal da Madalena.

“Participe! Tenha pilhas de consciência e carregue as baterias do Planeta!”

Clube do Ambiente

 

22 Mar 2019 Em 2018-2019

118 Árvores Plantadas

No passado dia 21 de março, para assinalar o Dia do Carbono e o Dia Internacional da Floresta, o Departamento Curricular Ciências Físico-Naturais, com o apoio do Município da Madalena, realizou uma ação de arborização, plantando 118 árvores, precisamente o mesmo número de elementos da tabela periódica, no Parque de Estacionamento da escola.

A iniciativa, dinamizada no âmbito da celebração do Ano Internacional da Tabela Periódica, envolveu os alunos da turma do 9.º C, que assim interiorizaram a importância de plantar uma árvore e com esse gesto aprofundaram e consolidaram raízes de cidadania.

Para saber mais e ver a reportagem fotográfica.

19 Nov 2018 Em 2018-2019

Esta é uma exposição itinerante constituída por um conjunto de 21 roll-ups de árvores nativas de Portugal, que estará disponível na nossa escola, das 8:20 às 17:30, entre os dias 12 e 23 de novembro de 2018, no átrio junto à biblioteca da escola.
As árvores nativas de Portugal são árvores que são originárias do território português. As 20 espécies selecionadas mostram a riqueza da nossa vegetação. Muitas destas espécies, pertencentes a diferentes famílias, seriam predominantes no nosso território caso não houvesse intervenção humana. As espécies escolhidas são bastante diversas, sendo algumas muito importantes do ponto de vista biológico e ecológico, outras do ponto de vista histórico e cultural e ainda outras do ponto de vista económico. A área de distribuição geográfica destas espécies, no seu conjunto, é muito ampla, abrangendo não só todo o território continental, mas também os arquipélagos dos Açores e da Madeira.
A floresta nativa é um sistema complexo dominado pelas árvores, mas que também integra a restante flora, fauna, fungos e microorganismos.
Algumas das funções e utilizações mais importantes que podemos atribuir à floresta nativa são:

  • Amenização do clima;
  • Manutenção da qualidade do ar;
  • Armazenamento do carbono atmosférico (dependente da idade e tamanho das árvores que compõem a floresta);
  • Conservação da água e do solo;
  • Conservação da biodiversidade;
  • Preservação e melhoria da paisagem;
  • Proteção dos incêndios florestais;
  • Preservação dos valores históricos e culturais;
  • Promoção de atividade de recreio, educativas e de turismo;
  • Produção de bens não lenhosos (frutos silvestres, plantas medicinais e aromáticas, cogumelos, mel, pastoreio);
  • Produção de bens lenhosos (madeira, cortiça).


Garantir a conservação, promoção e gestão da floresta nativa é essencial para promover a sua preservação e, ao mesmo tempo para assegurar o bem-estar e o desenvolvimento socioeconómico das populações que vivem nos diferentes territórios portugueses.
Os objetivos desta exposição são: dar a conhecer as árvores nativas de Portugal à comunidade escolar e população em geral e o seu papel no sistema climático, focando-se no tema de valorização do território e ainda ficar a conhecer características, curiosidades e utilizações destas espécies.
A exposição é acompanhada de um Guia de exploração. De cada Roll-up consta uma foto da espécie e detalhes da folha/flor/fruto, nome comum e científico, utilizações comuns e ainda um QR-code para “saber mais”.
Assim, através desta exposição, poderemos aumentar o conhecimento sobre as espécies arbóreas nativas de Portugal numa perspetiva de “conhecer para defender”.
Aguardamos a sua visita!

O coordenador do programa Eco-Escolas: Márcio Silva